OUTRAS ATUAÇÕES DE JUNHO DA FILARMÓNICA DO CRATO – PROCISSÃO E CONCERTOS

A Filarmónica do Crato associou-se mais um ano à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e com a comunidade cratense, em especial com os pais e crianças que cumpriram a 1ª Comunhão e a Comunhão Solene, abrilhantando com rigor a Procissão do Corpo de Deus na tarde de 20 de junho de 2019, quinta-feira. Apesar de ter três elementos num estágio no Inatel de Oeiras a nossa Banda realizou um bom trabalho e ouvia-se com muita qualidade. Algumas ruas do Crato vestiram-se de flores, foi o caso da Rua 5 de outubro e a Serpa Pinto. A importante rua José Caldeira Castel Branco possui poucos moradores e a rua da Sobreira, que era sempre a rua mais bem ornamentada, não participaram. Esta última ainda possui alguma vida e moradores, por sinal, é um exemplo para as outras visto que organiza um festejo anual de moradores.

A Procissão do Corpo de Deus era e ainda é nalguns locais, a procissão organizada pelo município. No Crato, em 1841, o Presidente da Câmara Municipal determinava as personalidades que iam pegar no pálio e mandava organizar a procissão, inclusivamente, mandava os almocreves apanhar juncos da ribeira para serem colocados nas ruas do trânsito da procissão. A mesma levava as bandeiras da Câmara e no pálio ia toda a Vereação. Também ordenava que todos os mesteirais, homens de profissões artesanais como alfaiates, sapateiros, que levassem as bandeiras das suas corporações sob pena de serem castigados. É numa destas determinações que surge numa ata de 1848 a primeira referência a uma atividade em que participaria a Banda de Múzica, a banda mãe da Philarmónica do Crato que naquela época se chamaria Sociedade Armónica. Aqui fica um excerto do que pesquisei há uns anos no Arquivo Municipal do Crato e o texto de acompanhamento.

Aproximava-se a procissão do Corpo de Deus e competia à Câmara a sua organização. Assim sendo, emitiu a seguinte deliberação, simplesmente excecional: “Nesta se deliberou nomear para levar o Palio na próxima procissão de Corpo de Deos os seguintes indeviduos Domingos Cordeiro Carrilho Saraiva do Amaral, Domingos Cordeiro Junior, António Pereira Xavier, João de Mattos Raymundo, José de Mattos Raymundo, João Venceslao Ferreira d’Abreu. Para levar o estandarte da Câmara José Mathias Relvas. Mais se deliberou que se anunciase por via de pregão, que todos os almocreves (os almocreves eram pessoas que conduziam animais de carga e/ou mercadorias de uma terra para outra em Portugal, durante a  Idade Média e até tempos bem recentes – meados do século XX) devem ir buscar Bunho (junco da ribeira) para juncar o transito da Procissão, e bem assim que devem comparecer à mesma Procissão todos os oficiais de officio com sua respetiva bandeira sob pena de serem multados na forma das Posturas. Mais se avizasse o rendeiro da villa para fazer limpar as ruas do transito da Procissão. E finalmente mais se deliberou convocar a Muzica para acompanhar a Câmara na dita Procissão (pág 111, sessão nº18). Sublinhei esta frase porque trata-se da primeira referência à Banda de Música do Crato que na altura se chamaria Sociedade Harmónica e que já existia em 1844, contudo esta é a primeira indicação de que a mesma já estava em atividade visto que a data de 44 referia-se a ensaios da dita Banda.

CONCERTO DA ROTA DOS CORETOS

A Filarmónica do Crato realizou o seu concerto da Rota dos Coretos do Alto Alentejo de 2019 na noite de 29 de junho no Crato. A 15 de setembro será o de Gáfete.

Uma vez que estava marcado para ao mesmo dia e hora um Arraial de S. Pedro organizado pelo Núcleo de Veteranos do Futebol Clube do Crato e porque a população já não é assim tanta, e para que nenhum evento ficasse prejudicado, a Filarmónica deslocou-se para o Campo 1º de maio, onde havia muito público e aqueles que iam somente para ver e ouvir a banda acabaram por comer umas boas sardinhas e ouvir a banda na mesma. É claro que o enquadramento não foi o melhor e nem o reportório foi o mais indicado para um arraial, mas com boa vontade de todos, tudo se fez e todos ficaram contentes. A banda teve público e os presentes no arraial tiveram um extra musical. A Filarmónica apresentou-se com 25 elementos e foi competente.

CONCERTO NA PISCINA DE ALDEIA DA MATA

No dia seguinte, 30 de junho, também pelas 21.30h, a Filarmónica do Crato deslocou-se à repleta piscina de Aldeia da Mata para dar um concerto de muito bom nível. Os aplausos foram fartos, fortes e genuínos. Os matenses foram um excelente público e a banda, ainda que desfalcada mas equilibrada, galvanizou-se e prestou um dos melhores concertos deste ano.

Esta aproximação às nossas comunidades é um dever e tem de ser cada vez mais praticada, o que aliás, está previsto para este verão com uma ida a todas as freguesias. É junto dos nossos que somos acarinhados e ganhamos vontade para continuar a trabalhar e a dar sempre o nosso melhor. Bem-haja ao público matense e à sua Junta de Freguesia, que está sempre aberta para este tipo de atividades.

Esta atividade insere-se no protocolo estabelecido entre a Filarmónica do Crato e a Câmara Municipal do Crato ao abrigo do novo regulamento de apoio às coletividades do concelho. Marcou presença o senhor Presidente, Joaquim Diogo e o seu vice, o matense João Manuel Farinha, assim como o Presidente da Junta de Freguesia de Aldeia da Mata, Sérgio Calado e todo o seu executivo. A Câmara colocou o autocarro municipal ao serviço da Banda.

De um dia para o outro, dois concertos semelhantes, no entanto, com a envolvência verificada em Aldeia da Mata, tivemos um concerto de elevado nível, no Crato, com o público mais afastado e a jantar, o envolvimento foi reduzido e a entrega foi recíproca. Ainda assim a banda foi competente.

 

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress