FILARMÓNICA DO CRATO NAS FESTAS DA CIDADE DE LISBOA 2019

A Filarmónica do Crato teve a honra de ser uma das seis bandas convidadas a participar no Festival COM’PAÇO, que chegou em 2019 à 12.ª edição, e é já um marco na formação musical e na promoção da música filarmónica.

Este ano, a aposta da edilidade lisbonense continuou, com a apresentação de bandas filarmónicas de todo o país no Jardim da Estrela e no Jardim do Arco do Cego. A Filarmónica do Crato esteve presente no Jardim da Estrela, local muito aprazível e que naquela tarde de 22 de junho de 2019 estava repleto de visitantes a saborearem a frescura das frondosas árvores e arbustos. E nada melhor do que proporcionar três ótimos concertos aos visitantes.

Começou a Banda Musical e Artística da Charneca (Lisboa), com quem a nossa Filarmónica já realizou um intercâmbio no princípio deste século e que, curiosamente, é dirigida por um jovem maestro com descendência do Crato, Miguel Oliveira, primo do nosso maestro Humberto João Oliveira Damas, e que é neto do Sr. José Bicho, que voltou para o Crato após se ter reformado como PSP em Setúbal. A prestação desta banda foi de muito boa qualidade e do agrado do muito público. Seguiu-se a Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba, de Alcácer do Sal, que protagonizou um concerto de elevadíssima qualidade. E, por fim, a Filarmónica do Crato, por volta das 19.30, com algum vento a prejudicar, o que faria com que o público fosse em menor número, ainda assim a dar por muito bem empregue o tempo já que o concerto de foi de muito bom nível. Refira-se que marcaram presença muitos cratenses que acorreram à Estrela para apoiar a sua banda.

No Jardim do Arco do Cego marcaram presença a Banda de Música de Cête, Paredes, a Banda de Música de Santiago de Riba-Ul, de
Oliveira de Azeméis, a mais antiga do país, com quase 300 anos (1722), e a
Sociedade de Instrução Coruchense.
Por volta das 22h a Alameda D. Afonso Henriques foi o palco escolhido para o grandioso concerto de encerramento, onde os participantes na Banda de Jovens Músicos Com’Paço 19 (selecionados das bandas participantes, bandas da cidade de Lisboa e escolas profissionais de música parceiras) apresentaram o trabalho realizado no workshop de Jovens Músicos COM´PAÇO, com uma convidada especial: a cantora Anabela, sob a direção do conceituadíssimo maestro Délio Gonçalves, da Banda da Armada e que teve como convidados Anabela (voz), José Miranda (piano) e Alexandre Carvalho (Baixo elétrico). Neste espetáculo, os cerca de 400 músicos homenagearam o feito do navegador português Fernão de Magalhães, responsável pela primeira viagem de circum-navegação à Terra, através desta linguagem universal. O concerto, realizado num local de rara beleza da cidade de Lisboa, cujo palco estava encostado à Fonte Luminosa, estava repleto de público. O seu início foi deslumbrante ao som de uma fanfarra constituída por seis músicos de cada uma das bandas participantes (Mário Narciso, Tomás Dias, João Felizardo, Afonso Fernandes, Henrique Fernandes e Gonçalo Alexandre pelo Crato).

O melhor viria a seguir com a atuação dos 58 jovens que marcaram presença no Workshop para Jovens Músicos Com’Paço 19, direcionado às bandas participantes no festival, bandas filarmónicas da cidade de Lisboa e escolas de música parceiras, que decorreu de 17 a 22 de junho no Inatel de Oeiras. O concerto foi uma alegoria aos oceanos, ao mar, ao feito dos portugueses ao desbravarem mares nunca antes navegados.

Os temas interpretados foram magníficos e os solistas estiveram em altíssimo nível. O som estava deslumbrante e nem o imenso frio noturno fez arredar o muito público presente. Por fim, a cereja no topo do bolo, a atuação da cantora Anabela, que interpretou quatro temas do seu reportório, acompanhada pela bela banda/orquestra com arranjos de Lino Guerreiro. O final foi em apoteose com os músicos de palco e os das seis bandas a interpretarem a Marcha Com’Paço, de Fernando Ramos, que já é tradição encerrar os festejos. Foi brutal, os sons ecoaram por toda a Alameda até ao Técnico.

Tratou-se de uma experiência inolvidável para todos os músicos da Filarmónica do Crato, em especial para os seis que formaram a fanfarra e para os três que foram selecionados para participar na banda final, constituída por jovens entre os 15 e os 25 anos, que trabalharam arduamente durante cinco dias de manhã à noite. Os selecionados foram Leonardo Monteiro, Beatriz Martinho e Francisco Batista (júnior).

A Direção da Filarmónica do Crato ofereceu o almoço aos seus executantes num excelente restaurante de self-service em Samora Correia e o jantar, oferta do município de Lisboa e da EGEAC, decorreu em enorme convívio entre as bandas, no mercado de Arroios, junto à Alameda, o qual também foi de enorme qualidade. O certame esteve muito bem organizado e nem faltou a escolta policial a abrir caminho aos autocarros até à Alameda.

A Filarmónica do Crato apresentou-se condigna, sendo caso de realce o do casal Nuno Antunes e Dora Dias, passam-se os anos, mas não vergam a deixar de atuar na sua banda sempre que podem, pois vivem na Vialonga há vários anos. Bem hajam!

O Município do Crato e a União de Freguesias Crato e Mártires, Flor da Rosa e Vale do Peso merecem outro elogio. Desta vez, para além do autocarro da Câmara que bem publicitou o Crato pelas avenidas de Lisboa, a Junta colocou uma carrinha ao dispor para levar os músicos que só puderam partir após o almoço e que também traria os que entravam ao trabalho no domingo de madrugada visto que a comitiva só chegou ao Crato pelas 3,30h da manhã. Ao maestro, direção e músicos presentes, fica também uma palavra de apreço por todo o seu esforço e qualidade demonstrada.

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress